Na sessão online da Assembleia Legislativa desta terça-feira (16), o deputado Dr. Neidson (PMN) aproveitou sua fala para denunciar a situação da regulação de leitos clínicos para atender pacientes acometidos pela Covid-19. Segundo o parlamentar, a liberação desses leites estaria demorando além do esperado.

“E a taxa de leitos ocupados é de 55%, ou seja, quase metade dos leitos estão desocupados, o que não justifica tanta demora. No caso do Hospital Regina Pacis, por exemplo, o ideal seria transformá-lo em Hospital UTI apenas com leitos para pacientes graves que necessitassem de internação em UTI’S, o que não é o caso, pois leitos clínicos têm”, relatou Dr. Neidson.

Ainda de acordo com o deputado, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) afirmou que serão abertos mais 140 leitos clínicos, quando do total hoje existente, apenas pouco mais de 50% estão ocupados.

Também em seu pronunciamento, Dr. Neidson reclamou da situação do Barco Hospital Walter Bártolo que, segundo ele, está há mais de 120 dias parado sem realizar qualquer atendimento.

“Esse barco deveria estar atendendo a população ribeirinha de Guajará-Mirim até Pimenteiras. Diante disso pedimos ao Governo que sejam tomadas providências urgentes para a retomada dos atendimentos da embarcação hospitalar”, enfatizou Neidson.

O deputado também desmentiu as notícias divulgadas pela Sesau referentes a uma suposta redução do índice de mortalidade de Guajará-Mirim causados pelo Coronavírus.

“Não diminuiu nada. Eles apenas disponibilizaram os kits, que foram encaminhados para Guajará-Mirim. Com o início dos testes nos pacientes, surgiram os positivados e com isso diminui a taxa de letalidade uma vez que estes pacientes passam a realmente se isolar das demais pessoas e evitar um maior número de contaminados", argumentou o parlamentar.

Mais uma vez a cobrança da conclusão das obras do novo Hospital Regional foi pauta no pronunciamento do deputado. Há cerca de 40 dias, em uma reunião no Tribunal de Contas de Rondônia o Estado se comprometeu dar celeridade às obras e, segundo Dr. Neidson, “até hoje nenhuma providência foi tomada”.

“O Governo precisa cumprir com o que foi acordado e tomar uma atitude para atender, de uma vez por todas, o anseio da população que é a conclusão do hospital. Na oportunidade também falei sobre o desvio dos equipamentos que já haviam sido adquiridos para equipar a nova estrutura do Hospital Perpétuo Socorro e que foram desviados para outros municípios. Nem para mobiliar o hospital de campanha construído em Guajará-Mirim o Estado enviou os equipamentos. O descontentamento diante de toda essa situação lastimável não é só minha, é da população guajaramirense, parcela que mais sofre com tanto descaso”, declarou Dr. Neidson que frisou, ainda, que tomará atitudes perante a Assembleia Legislativa e, se for necessário, via Ministério Público e Tribunal de Contas também.

Dr. Neidson informou que, através de requerimento à Mesa Diretora, pedirá informações sobre os equipamentos desviados, para onde foram levados e o quantitativo de quando foram entregues. O deputado também cobrará o Estado o repasse feito pelo Governo Federal para a conta Sesau no valor de R$ 700 mil para Guajará-Mirim.

Neidson explicou que a prefeitura solicitou que o recurso fosse entregue em medicamentos ou equipamentos hospitalares, mas até o momento, nada chegou ao município. “Vamos cobrar o Governo Federal, ou para fazer o repasse desse recurso ou para distribuir em medicamentos e aparelhamentos médicos”, concluiu o deputado.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem