Na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira (01), o deputado Dr. Neidson (PMN) falou sobre a situação da saúde em Rondônia. O parlamentar informou que, nesta manhã, durante a reunião da Comissão de Saúde, que contou com a presença do secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, tratou de diversos assuntos que, segundo ele, vem dificultando e afetando a vida da população rondoniense.

“A não realização das cirurgias eletivas é uma dessas dificuldades enfrentadas por muitos pacientes que sofrem demais, enquanto aguardam esses procedimentos. Ontem, andando pelas ruas aqui de Porto Velho, por volta de 18h30, ouvimos através de uma Rádio aqui da capital, o apelo de uma senhora para conseguir realizar sua cirurgia de vesícula”, contou o deputado.

De acordo com o parlamentar, segundo os relatos da senhora, por não suportar mais as dores, consequentes da enfermidade, ela estava pedindo socorro para a população, com o intuito de conseguir arrecadar R$ 6.500,00 reais, valor necessário para a realização da cirurgia na rede particular de saúde.

“E conversando com o secretário Fernando Máximo hoje, ficamos sabendo que não foi apenas essa senhora que tomou uma atitude como esta, de ter que apelar por ajuda, por socorro. Isso é algo que está acontecendo em todo o estado. Várias são as pessoas que não têm condições de passar por uma cirurgia na rede particular e estão pedindo socorro, sendo que o SUS não está oferecendo esses atendimentos de forma adequada”, enfatizou Dr. Neidson.

Para o deputado, diante o atual cenário de pandemia, ocorreu a formação de uma imensa fila de espera para a realização das cirurgias eletivas que, de acordo com as explicações de Fernando Máximo, já estariam sendo realizadas.

“Não da forma que deveria, mas estão sendo feitas, ao contrário do que nos foi informado. E diante disso, eu, assim como os deputados Alan Queiroz (PSDB) e Cássia Muleta (Podemos), presentes na reunião, solicitamos a ampliação da oferta de cirurgias eletivas e que busquem a celebração de convênios com municípios, com rede particular de saúde, enfim, mas que nossa população tenha a garantia do atendimento e da redução do seu sofrimento”, destacou Dr. Neidson.

Sobre os servidores que atuavam nos hospitais de campanha e que estariam sendo demitidos, o parlamentar acompanhou a ideia do colega deputado, Alan Queiroz em chamar esses servidores para contribuírem nas cirurgias eletivas.

“E na mesma linha de raciocínio, solicitei a possibilidade de o Hospital Regina Pacis ser utilizado, após o encerramento das atividades relacionadas à Covid, como uma referência para a realização de mutirões de cirurgias, atendendo assim, a demanda do nosso Estado, já que se trata de um hospital de campanha fixo e que, provavelmente, deverá ser desativado. Então, antes que isso aconteça, que o hospital possa ajudar nessa questão das cirurgias eletivas”, concluiu Dr. Neidson.

Texto: Juliana Martins-ALE/RO
Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem